Cláudio Duarte confirma que irá a evento da maçonaria


Cláudio Duarte fala sobre o evento maçom. (Foto: Reprodução / Instagram)

Logo após o nome do pastor Claudio Duarte ter sido anunciado como parte da programação XLVII Assembleia Geral Ordinária da Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil, gerou-se uma grande polêmica, com muita gente criticando-o nas redes sociais.

A ligação de pastores com a maçonaria sempre foi uma questão incômoda na Igreja brasileiras, mas Duarte explica que não é maçom. Em um vídeo publicado no Instagram, o líder religioso lembrou que já participou de vários programas de TV aberta, sem com isso ter “negociado” seus princípios e sua fé. “Nunca envergonhei o evangelho”, afirmou, para em seguida declarar: “acho que mereço um pouco mais de confiança”.

“As pessoas não conseguem entender muito o meu ministério, mas eu sempre lidei bem com isso”, destacou.

Ele disse ainda que fará outros vídeos explicando melhor a situação, mas confirmou que participará do evento maçônico. Segundo o material de divulgação, ele ocorre entre 4 e 8 de julho, no Centro de Convenções de Vitória, no Espírito Santo. Claudio Duarte deverá falar no segundo dia.

A maioria dos comentários na postagem deixam claro que os seguidores do pastor entendem que ele pode tranquilamente a esse tipo de evento para pregar a Palavra de Deus, sem que com isso precise comprometer suas posições.

Cinco cidades da Bahia têm mais eleitores do que habitantes


No Brasil, são 231 municípios com eleitorado maior que a população; primeira no estado, Maetinga é a quarta entre as cidades com maior diferença no país
(Foto: Arquivo EBC)

Situado no Centro-Sul da Bahia, o município Maetinga tem um movimento incomum de pessoas a cada dois anos. Contudo, o fenômeno não ocorre em função de períodos festivos, mas por causa das eleições. A explicação para esse fato vem de um levantamento da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), que coloca a cidade entre as 231 do Brasil com mais eleitores do que habitantes. Na Bahia, são cinco casos.

Em Maetinga, um terço das pessoas aptas a votar não reside na cidade: são 6.736 votantes contra 4.456 moradores. O número coloca o município na quarta posição nacional e na terceira do Nordeste entre aqueles com maior diferença entre eleitorado e população. Serra Preta, segundo no estado, figura na 14ª posição nacional, com variação de 905 – são 16.941 eleitores contra 16.036 moradores.

Lajedão, Potiraguá e Ribeirão Do Largo completam a lista das cinco representantes baianos na pesquisa, divulgada nesta quarta-feira (13). O líder do ranking nacional de maior eleitorado que população é Canaã Dos Carajás, que fica no estado do Pará e tem 3.857 mais votantes. No Nordeste, o primeiro colocado é Cumaru, em Pernambuco, com diferença de 3.396.

Em Lajedão, a diferença é de 737 pessoas aptas a votar (4.805 contra 4.068 moradores), enquanto em Potiraguá a discrepância é de 309 (8.747 contra 8.438). Ribeirão do Largo, com 65 votantes a mais, é o que tem menor variação entre eleitorado e população (7.502 contra 7.437).

Entre as 231 cidades, 52 estão no Nordeste, que é a segunda no ranking das regiões. O Sudeste lidera com 108 casos. O Sul tem 35 cidades, enquanto o Centro-Oeste tem 25. O Norte conta com 11 municípios na lista.

Razões
O levantamento leva em conta dados da estimativa populacional do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e número divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no último dia 31 de maio. Para o presidente da CNM, Glademir Aroldi, a disparidade apresentada nas 231 cidades pode ser explicada pelos casos de pessoas que deixam suas cidades, mas continuam votando nelas.

Além disso, Aroldi ainda coloca parte da culpa na conta do IBGE, que, segundo ele, subestima a população de alguns municípios. “Se por um lado isso pode ser explicado pela mobilidade das pessoas que mudam o domicílio eleitoral para suas cidades de origem ou para cidades litorâneas, podemos também alertar para uma reclamação constante dos gestores municipais, a de que as suas respectivas populações estão subestimadas pelo IBGE”, afirma.

O prefeito de Maetinga, Edcarlos Oliveira (PT), é um dos que reclamam do instituto. Segundo ele, a população da cidade é quase o dobro da estimada. “Pelos nossos atendimentos de saúde, temos em torno de 8 mil moradores. Sempre levamos isso ao IBGE e pedimos que seja feita uma recontagem, mas até agora nada”, diz. Entretanto, ele diz que há um movimento de pessoas que deixam o município, mas não trocam seu domicílio eleitoral. “É comum no interior”.

Amor à terra
Já o prefeito de Serra Preta, Rogério Serafim (Podemos), conhecido como Aldinho, diz que o fenômeno se explica pela manutenção do vínculo daqueles que deixam o município. “São pessoas que saem, por trabalho ou estudo, mas ainda estão ligadas ao município, seja por conta dos familiares ou mesmo por amor à sua terra”, conta, informando que Feira de Santana e Salvador são os dois principais destinos dos serra-pretenses.

Ele também tem queixa contra o IBGE. “Temos alguns povoados que não estão em Serra Preta na teoria, mas na prática são assistidos por nós. São cerca de 3,5 mil pessoas nestes territórios”, afirma.

Um dos serra-pretenses que deixaram a cidade, mas mantiveram o título original é o eletricista Nivaldo Santos, 35 anos. Ele mora há 14 anos em Salvador, mas só vota em Serra Preta. “Meus pais moram lá, minha família toda. Tenho muitos amigos, vou lá uma ou duas vezes por mês. Acompanho a política local e faço questão de ir votar”, diz ele. 

Para o TSE, a discrepância entre eleitorado e população é explicado pela diferença entre domicílio eleitoral e domicílio civil. De acordo com a revista Estudos Eleitorais de 2015, elaborada pela Corte, enquanto o chamado domicílio civil é mais restrito por limitar-se à residência na qual se anseia permanência definitiva.

O eleitoral, por sua vez, é aplicado de forma mais flexível, abarcando a localidade na qual o eleitor comprova residência acrescida de envolvimentos afetivos, familiares e sociais. Dessa forma, é possível o cidadão morar em uma cidade e votar em outra, sem que isso se configure fraude, ressalta o TSE.

Situação da Bahia
A Bahia ocupa a nona posição no ranking dos estados com mais cidades que possuem mais eleitores que habitantes, ao lado de Mato Grosso e Tocantins (todas com cinco cada). O líder é Minas Gerais – com 75 municípios -, seguido por São Paulo (29) e Santa Catarina (SC).

O estudo da CNM aponta, ainda, que a Bahia tem o quarto maior eleitorado do país, com 10,2 milhões eleitores, atrás de São Paulo (33,29 milhões), Minas Gerais (15,6 milhões) e Rio de Janeiro (12,3 milhões).

Salvador, por sua vez, tem o quinto maior número de votantes entre as capitais brasileiras, com 1,7 milhão de pessoas. São Paulo (9 milhões), Rio de Janeiro (4,8 milhões), Brasília (2 milhões) e Belo Horizonte (1,9 milhões) estão na frente da capital baiana.

De acordo com a pesquisa, 146,1 milhões de pessoas aptas a votar nas 5.568 cidades brasileiras este ano. O número representa aumento de 1,4% em relação às eleições de 2016. Correio24 Horas.

Reencontro entre Luzia e Karola é marcado por ameaças e ‘quase morte’


(Foto: TV Globo/Divulgação) Episódio vai ao ar nesta quinta (14)

A trama das 21h da Globo continuará pegando fogo nas próximas cenas. Além de uma morte já confirmada para a trama, João Emanuel Carneiro, escritor da obra, preparou um reencontro explosivo entre as personagens Luiza (Giovanna Antonelli) e Karola (Deborah Secco). Após quase duas décadas dos golpes aplicados pela dissimulada Karola, Luiza e Beto Falcão (Emilio Dantas) estão revivendo o romance interrompido. A personagem de Secco vai descobrir o ‘flashback’ no capítulo desta quinta (14) e irá desesperada até Boiporã, com receio de que Beto e Luzia descubram, juntos, a verdade sobre Valentim (Danilo Mesquita) – que foi roubado, por Karola, dos braços de Luzia logo ao nascer.

De acordo com informações do site Notícias da TV, o encontro vai gerar uma briga física e psicológica, sem a presença de Beto. O confronto, inclusive, por pouco não vai terminar com a morte da ex-marisqueira. A discussão começa quando Karola chega ao local e berra para Luzia, enquanto já se aproxima da moça: “Você não desiste de tentar roubar meu homem, né, desgraça?“. Luzia, por outro lado, mais calma do que Karola, vai provocar: “Você deve ter mesmo muita inveja de mim, Karola. Porque você sabe que ele gosta de mim! Que nada que você fez pra separar a gente, adiantou!“.

Karola, então, vai tentar enganar a atual DJ: “Meu marido tá se divertindo às suas custas! Ele tá mentindo pra você! Você caiu no jogo dele igual uma tonta. Como você acha que eu tô aqui? Ele me avisou! Me ligou, rindo da sua cara!“. Luzia, porém, já não acreditará, sugerindo que elas esperem por Beto para ouvir o que o próprio tem a dizer.

Karola então rebate: “Eu não negocio com bandida! A polícia vai chegar antes disso! Vai ser bom que você vai poder se despedir de Beto antes de ser levada de volta pra prisão, que é o seu lugar! Sua assassina, sua bandida!”. A frase tira Luzia do sério, que parte para o tapa com a vilã, perdendo o controle e afirmando: “Bandida é você, sua vagabunda maldita! Você acabou com a minha vida!”, dirá, deixando claro estar consciente de várias das tramoias da vilã.

Geddel, Lúcio, Lula e as ironias do destino: o drama não previsto pela ficha limpa


Foto: Divulgação/ PF

O ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB) foi implicado, de maneira mais contundente, como beneficiário de recursos desviados da Caixa pelo relatório da Polícia Federal na Operação Cui Bono?. As informações foram divulgadas no mesmo dia em que o irmão dele, deputado federal Lúcio Vieira Lima (MDB), frisou que, até o momento, Geddel segue sendo um político ficha limpa. Tecnicamente, Lúcio está certo. Geddel não foi condenado em nenhuma sentença de órgão colegiado e, portanto, estaria apto, por exemplo, a ser candidato nas eleições de 2018. Algo, no mínimo, improvável. O cerco se fechou ainda mais contra o cacique político baiano. Geddel foi acusado pela PF de ter recebido R$ 16 milhões em propinas por meio do doleiro Lucio Funaro, operador do MDB no esquema, de acordo com o relatório. Entre as evidências citadas no documento está o cruzamento de dados das redes de telefonia celular, que colocou Geddel nas proximidades do Aeroporto de Salvador nos dias em que Funaro relatou ter entregue malas de dinheiro para o ex-ministro em um hangar anexo ao aeródromo. Deflagrada em janeiro de 2017, Cui Bono? foi o início do novelo que colocou Geddel de novo na cadeia, oito meses depois, quando foram encontrados R$ 51 milhões em um apartamento no bairro da Graça em Salvador. A cada nova investida da PF, o ex-ministro parece mais distante de deixar o Complexo da Papuda, onde reside desde o mês de setembro do ano passado. Além dele, o próprio irmão, Lúcio Vieira Lima, também vive uma delicada situação no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, onde responde a um processo de cassação. Assim como o irmão, todavia, Lúcio é considerado ficha limpa e está apto a ser candidato em 2018 – necessitando ser reeleito para manter a prerrogativa de foro. Eis que a condição dos Vieira Lima mostra o quanto o Brasil é um país repleto de peculiaridades. Enquanto os dois emaranhados em denúncias como a famosa foto com as malas de R$ 51 milhões e abandonados por parcela expressiva dos aliados são considerados aptos a serem candidatos no pleito de outubro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mesmo liderando as pesquisas de intenção de voto, está impedido pela legislação de pleitear o Palácio do Planalto. São particularidades demais para um país como o nosso. Bahia Notícias.

Valença: Megaoperação é deflagrada contra tráfico de drogas nesta quinta


Foto: Alberto Maraux / SSP-BA

Policiais civis e militares fazem uma operação na manhã desta quinta-feira (14) contra o tráfico de drogas em Valença, no Baixo Sul. Mandados de busca e apreensão são cumpridos desde as 5h. segundo a Secretaria da Segurança Pública do Estado (SSP-BA), mais de 100 policiais participam da ação em vários pontos da cidade. Um helicóptero do Grupamento Aéreo (Graer) participa da operação. Além de  policiais da 5ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), também atuam na operação agentes da 33ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM), ambas de Valença, além de membros da Coordenação de Operações Especiais (COE), do Grupamento Aéreo (Graer), dos Departamentos de Polícia do Interior (Depin), Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Cacaueira e das Rondas Especiais (Rondesp) Sul. Bahia Notícias.

Rui sanciona lei que cria cargos de desembargador, assessor e assistente no TJ-BA


Foto: Divulgação

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), sancionou a lei que cria nove cargos de desembargadores, 18 de assessor de desembargador – sendo dois para cada gabinete – e nove cargos de assistente de gabinete – sendo um por gabinete, no Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), conforme publicação no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (14). A matéria para a criação dos postos foi aprovada na segunda-feira  (12) pela Assembleia Legislativa da Bahia.

Lula tem perdido eleitores fieis desde a prisão, aponta Datafolha


Foto: Paulo Pinto / AGPT

Apesar do PT insistir na candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, alguns dos eleitores mais fieis do petista se distanciaram dele desde a sua prisão, em abril deste ano. Essa análise foi feita pelo blog Painel, da Folha de S. Paulo, com base nos dados da pesquisa Datafolha divulgada nesse domingo (10). De acordo com o levantamento, Lula permanece na liderança das intenções de voto, porém perdeu pontos. Enquanto na pesquisa divulgada em janeiro, ele marcava entre 34% e 37% das intenções de voto, em abril esse número caiu para 31% e o levantamento mais recente mostra o petista com 30% da preferência dos eleitores. De acordo com a publicação, quando os eleitores escolheram seus candidatos de maneira espontânea, que é quando os nomes não são diretamente questionados na pesquisa, Lula só é mais citado que o deputado Jair Bolsonaro (PSL) na região Nordeste e pela parcela do eleitorado que tem menor renda.

Técnicos do TCM iniciam auditoria em processos da Prefeitura de Vitória da Conquista


Fotos: BLOG DO ANDERSON

Três técnicos do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado da Bahia (TCM-BA) chegaram exatamente às 16h10min desta segunda-feira (11) na sede da Secretaria Municipal da Educação de Vitória da Conquista para iniciar uma auditoria no Transporte Escolar, cujo processo licitatório ainda está em tramitação.

Na ocasião a secretária Selma Maria de Oliveira Silva acompanhou os três representantes do Tribunal de Contas dos Municípios que deverão protocolar os resultados dessa ação juntos as contas do prefeito Herzem Gusmão Pereira que deverão ser apreciadas pelos conselheiros no próximo mês de julho.

Missionários enviam arroz e Bíblias pelo mar para norte-coreanos


Organizadores jogaram 500 garrafas cheias de arroz, pendrives e Bíblias. (Foto: Getty)

Um grupo de cristãos se reúne numa praia na Coreia do Sul. Eles oram e depois começam a jogar garrafas plásticas no mar. Sua esperança é que elas sejam levadas pela correnteza até o outro lado do canal, em território norte-coreano.

Durante algumas horas eles preparam e lançam 500 garrafas, cheias de arroz que servirá para saciar alguns cidadãos famintos que estão presos no regime comunista de Kim Jong-Un.

Os voluntários que se dedicam a essa tarefa são majoritariamente desertores norte-coreanos, que conhecem bem a situação do outro lado da linha que divide os dois países.

Cada garrafa contém um quilo de arroz e um pendrive com programas de televisão sul-coreanos, notícias sobre o mundo e uma mensagem cristã. Algumas delas também levam uma cópia da Bíblia amarrada do lado de fora, envolta em muito plástico para evitar que molhe.

As condições de vida na Coreia do Norte são muito difíceis, desde o final da Guerra da Coreia, na década de 1950, quando o avô de Kim Jong-un deu início a um regime ditatorial. Hoje, os cidadãos vivem no regime mais fechado do mundo. Sem imprensa livre ou acesso à internet, a imensa maioria dos norte-coreanos só tem conhecimento do que é apresentado pela televisão estatal.

A fome é endêmica. O Sistema de Distribuição Pública, que deixa nas mãos do Estado a maior parte da produção agrícola, entrou em colapso e perdeu totalmente sua capacidade de alimentar a população.

Em meio à sua luta para sobreviver na pobreza, achar as garrafas contendo arroz ajuda a mitigar a fome de centenas de pessoas. Estima-se que o norte-coreano médio precisa trabalhar 40 dias para poder adquirir um quilo do alimento fora do sistema de distribuição.

Os missionários explicam que são mais de 30.000 “cristãos desertores” vivendo na Coreia do Sul e a maioria deseja fazer algo para ajudar os parentes e amigos que ficaram para trás.

Mas eles sabem que suas garrafas de arroz, jogadas com alguma frequência, são uma “gota no oceano” da fome. Segundo um relatório recente, cerca de 70% da população da Coreia do Norte depende da assistência alimentar para sobreviver, incluindo 1,3 milhões de crianças com menos de cinco anos.

De acordo com o Programa Mundial de Alimentos da ONU, 18 dos 25 milhões de habitantes da Coréia do Norte dependem do programa estatal. Cerca de 41% da população está severamente subnutrida.

Além de orar para que o arroz não seja levado embora pela correnteza, o desejo desses cristãos é que as mensagens nos pendrives possam ajudar a salvas a alma daqueles que, de outra maneira, não poderiam escutar o evangelho.

A religião é proibida pelo regime norte-coreano e os cristãos são severamente punidos se fizeram cultos, colocando o país por 13 anos no topo do ranking de perseguição religiosa mundial. Com informações Express

Desinteresse com a Copa bate recorde e atinge 53% no país, aponta Datafolha


O desinteresse dos brasileiros com a Copa aumentou às vésperas do início da disputa na Rússia, marcado para esta quinta-feira (14). O primeiro jogo do Brasil será domingo (17), contra a Suíça, às 15h. De acordo com a pesquisa nacional do Datafolha, divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo e realizada na semana passada, 53% dos brasileiros afirmam não ter nenhum interesse pelo Mundial, isso em um ano eleitoral, com a economia fraca e ainda na ressaca de uma manifestação de caminhoneiros que quase paralisou o país. No final de janeiro, o índice de desinteressados era de 42%. Segundo o Datafolha, a marca de agora é a pior às vésperas do torneio desde 1994, quando o instituto fez a pergunta pela primeira vez. O desinteresse pelo Mundial da Rússia se destaca entre as mulheres (61%), pessoas de 35 a 44 anos (57%), moradores da região Sul (59%) e aqueles com renda familiar de até dois salários mínimos (54%). O Datafolha ouviu 2.824 pessoas em 174 municípios na quinta (7) e sexta-feira (8), e a margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Bahia Notícias.